AMPHIBIAWEB
Anomaloglossus stepheni
family: Dendrobatidae

© 2013 Pedro Ivo Simoes (1 of 6)

 view video (1761.3K MPG file)

[video details here]

Conservation Status (definitions)
IUCN (Red List) Status Least Concern (LC)
CITES No CITES Listing
Other International Status None
National Status None
Regional Status None

 

View distribution map using BerkeleyMapper.

   

Source credit:
Guia de Sapos da Reserva Adolpho Ducke, Amazonia Central by Lima et al. 2005


INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia)
PPBio (Programa de Pesquisa em Biodiversidade)
PELD (Pesquisas Ecológicas de Longa Duração)

Authors: Albertina P. Lima, William E. Magnusson, Marcelo Menin, Luciana K. Erdtmann, Domingos J. Rodrigues, Claudia Keller, Walter Hödl

Distribuição na RFAD: Pode ser facilmente encontrada em toda a reserva.

Distribuição geral: Até o momento a espécie só foi registrada na região que se estende de Manaus até Presidente Figueiredo, Amazonas (Brasil).

Descrição: Machos 14-17 mm, fêmeas 16-18 mm. O dorso tem coloração em diferentes tonalidades de marrom. Uma faixa lateral marrom mais escura vai do focinho até o meio do corpo. Abaixo desta linha lateral e nos dedos há vários pontos de cor branco-gelo. Na época de reprodução, os machos podem ser diferenciados das fêmeas por terem uma expansão lateral no terceiro dedo da mão. O saco vocal dos machos é esbranquiçado a cinza escuro. A região gular das fêmeas é branca. Os jovens têm a cabeça escura e a superfície dorsal do corpo marrom-clara.

Espécies semelhantes: Se parece com Colostethus sp., mas este se diferencia por ter a faixa lateral marrom escura contínua do focinho até a cloaca, formando um círculo em volta do corpo, o dorso marrom-alaranjado, e as patas traseiras acinzentadas. Jovens de Adenomera andreae ou Eleutherodactylus fenestratus se diferenciam pela ausência da faixa lateral marrom.

História natural: Terrestres e diurnos. Os adultos alimentam-se principalmente de cupins, moscas e besouros, enquanto os jovens alimentam-se principalmente de colêmbolos e ácaros. Reproduzemse entre novembro e março, com um pico em janeiro. As fêmeas depositam aproximadamente 3 a 6 ovos em folhas secas enroladas ou dobradas, onde os girinos se desenvolvem até a metamorfose. Os machos são territoriais, e cuidam dos ovos e girinos.




Feedback or comments about this page.

 

Citation: AmphibiaWeb. 2017. <http://amphibiaweb.org> University of California, Berkeley, CA, USA. Accessed 21 Oct 2017.

AmphibiaWeb's policy on data use.