AMPHIBIAWEB
Osteocephalus oophagus
family: Hylidae
subfamily: Hylinae

© 2004 Antoine Fouquet (1 of 3)

 view video (1761.3K MPG file)

[video details here]

Conservation Status (definitions)
IUCN (Red List) Status Least Concern (LC)
CITES No CITES Listing
Other International Status None
National Status None
Regional Status None

 

View distribution map using BerkeleyMapper.

   

Source credit:
Guia de Sapos da Reserva Adolpho Ducke, Amazonia Central by Lima et al. 2005


INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia)
PPBio (Programa de Pesquisa em Biodiversidade)
PELD (Pesquisas Ecológicas de Longa Duração)

Authors: Albertina P. Lima, William E. Magnusson, Marcelo Menin, Luciana K. Erdtmann, Domingos J. Rodrigues, Claudia Keller, Walter Hödl

Distribuição na RFAD: Abundante em toda a reserva, sendo facilmente encontrada. Distribuição geral: Amazônia do Brasil, Colômbia; Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

Descrição: Machos 39-53 mm, fêmeas 49-57 mm. O dorso é marrom, com manchas de marrom mais claro e mais escuro. O ventre é creme a esbranquiçado. A região lateral (raramente também a região dorsal) em alguns indivíduos pode ser repleta de manchas esbranquiçadas. Os braços e pernas têm barras transversais sobre um fundo marrom escuro. Os machos têm um saco vocal único na região gular. A íris é dourada com linhas radiais negras.

Espécie semelhante: Em termos de coloração se confundem com Osteocephalus taurinus, mas os machos de O. taurinus se diferenciam por possuir saco vocal duplo disposto lateralmente, e o comprimento dos adultos é duas vezes maior que o de O. oophagus.

História natural: Arborícolas e noturnos. São encontrados no interior da floresta. Os machos vocalizam principalmente à noite sobre troncos e galhos desde 0,5 a mais de 4 m de altura. As desovas (ao redor de 30 ovos) são depositadas em acúmulos de água em epífitas, bromélias de solo, axilas de folhas de buriti ou cavidades de árvores, onde os girinos se desenvolvem até a metamorfose. A fêmea retorna ao local de desova regularmente, em intervalos de cerca de cinco dias, e freqüentemente acasala com o mesmo macho, produzindo ovos que servem de alimento para os girinos em desenvolvimento (comportamento conhecido como oofagia).




Feedback or comments about this page.

 

Citation: AmphibiaWeb. 2017. <http://amphibiaweb.org> University of California, Berkeley, CA, USA. Accessed 22 Oct 2017.

AmphibiaWeb's policy on data use.